Qual a diferença entre SISUTEC e PRONATEC?

Interessados em tentar uma nova carreira devem se inteirar mais entre Sisutec e Pronatec. As duas siglas até rimam mas são possuem nenhuma ligação que não seja serem ambos projetos do Governo Federal. É preciso entender mais sobre o seu significado para saber de qual programa você precisa e como concorrer a vagas. Saiba mais a seguir.

Entenda mais sobre o Sisutec

Sisutec é uma pequena palavra para Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica. A sigla se refere ao modelo mais recente de inscrição dos concluintes do ensino médio nas universidades e faculdades públicas de todo o país. 

Muitos de nossos leitores conhece o formato antigo de seleção para as universidades públicas: o vestibular. O aluno faria a sua inscrição na instituição a qual desejava estudar, faria a prova e se aprovado seria convocado. Querendo vagas em outras cidades ele faria todas as provas ao mesmo tempo. 

Este sistema causava alguns problemas como o mesmo aluno sendo aprovado em duas universidades e abrindo oportunidade apenas no remanejamento. Os estudantes também precisavam viajar se quisessem concorrer em vagas em outros estados. 

Com o Sisutec todo o processo de seleção para uma universidade pública é digital. O aluno se inscreve no sistema gratuitamente usando a sua nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com uma nota na redação ENEM diferente de zero. O vestibular foi trocado pela prova do Enem. Pode optar por dois cursos e se classifica ou não dentro das vagas de acordo com a nota do Enem e a concorrência.

E o que seria Pronatec?

O Pronatec é um dos nomes muito comentados quando se trata de ensino público. Quando um jovem ou adulto maior de 18 anos não consegue uma vaga em graduação ele pode tentar os cursos técnicos. A formação garante uma profissionalização do estudante e ele já sai pronto para o mercado de trabalho em um período máximo de dois anos. 

Os cursos do Pronatec fazem parte de um projeto do Governo Federal para oferecer formação profissional para quem não pode bancar os estudos. São cursos ofertados em escolas referência em todo o Brasil e custeados pelo Governo Federal. 

As vagas do Pronatec são para jovens que concluíram o ensino médio e adultos fora do mercado de trabalho, não necessariamente é preciso ter feito a prova do ENEM

Como se inscrever no Sisutec ou Pronatec?

Inscrições no Sisutec e Pronatec acontecem em períodos diferenciados. O sistema do Sisutec abre vagas duas as vezes ao ano para se inscrever, em junho e janeiro. Os alunos devem se cadastrar gratuitamente e permitir a consulta à nota do Exame Nacional do Ensino Médio. Dentre os cursos ele pode escolher dois em ordem de prioridade. Tendo nota para o primeiro curso a segunda opção será descartada. 

Já para os cursos do Pronatec  os estudantes devem visitar as escolas parcerias que oferecem os cursos para realizar a inscrição gratuita. Os cursos possuem inscrições o ano todo e de acordo com a procura. Mais salas de aula são abertas ao longo dos meses, por isso é preciso ficar antenado para se inscrever.

 

Posted in Blogging | Comments closed

Conheça os estados mais caros para viver no Brasil

O Brasil é um país diversificado em culturas, em classes sociais e também formas de se viver. Os cenários são diferentes ao longo da extensão territorial, assim como o clima e os gastos necessários para dispensar com o custo de vida. Para quem pensa em mudanças de área é preciso conhecer os estados mais caros para se viver e entender o motivo. 

Onde é mais caro morar no Brasil?

A ampla extensão territorial do Brasil permite ao país ser um dos mais díspares quando se trata de custo de vida. Enquanto em algumas cidades um salário mínimo dá para viver muito bem em outras não se paga nem ao menos o aluguel. O mesmo acontece em outros países.

Para a escolha de qual o seu próximo destino de moradia elencamos os estados mais caros para viver no Brasil e os principais motivos, acredite, o Rio não esta na lista apesar do seu IPVA RJ 2019 caríssimo . Confira a seguir.

São Paulo

São Paulo nunca foi a capital do Brasil mas deveria. É dono da principal área industrial do país, das maiores empresas e dos maiores centros urbanos. Considera-se também um dos estados mais evoluídos tecnologicamente e isso possui um custo, não dos mais baixos. 

Mesmo nas zonas mais pobres o aluguel na capital pode chegar facilmente a R$ 2 mil. Alimentação está na lista dos custos mais altos a dispensar, assim como diversão. Em contrapartida os melhores preços de vestuário e eletrônicos estão nos centros urbanos paulistas.

Ter automóveis no estado não é um dos bens mais baratos não. É o estado com maior arrecadação de impostos e com o IPVA SP dentre os mais caros.

Rio Grande do Sul

Uma das referências do Estado é seu nível de ensino. Muitas escolas estão sempre na lista das mais modernas e com melhores sistemas educacionais para valer a pena uma mudança de região em quem possui filhos. Moradia possui um valor mediano.

O caro mesmo de morar na capital Porto Alegre são os serviços. Alimentação e lazer estão na lista dos mais caros e dos mais bem avaliados também. Muitos dos modelos de restaurantes implementados por lá são usados em outros Estados. 

Minas Gerais

Belo Horizonte é uma das cidades brasileiras com o turismo mais caro. Contudo, é um dos estados com melhor sistema de transporte público e rede de ensino. Os serviços de atendimento médico ficam entre os mais altos também mas os mais elogiados em todo o país. Há quem vá de outro Estado buscando tratamento. 

Alimentação e lazer estão entre os preços medianos. Não chega a possui a moradia mais cara do país mas fica bem perto com aluguéis superiores a R$ 2 mil nos centros urbanos. 

Distrito Federal

Ser uma região onde a maior parte dos moradores é da área polícia torna os preços dos serviços e produtos muito mais caros. Um apartamento mediano pode chegar a custar R$ 3 mil de aluguel dependendo de sua localização em relação à Esplanada dos Ministérios.

Alimentação e transporte encabeçam a lista dos serviços mais caros para o turista e morador também. Hospedagem chega a ser o dobro do preço de um hotel cinco estrelas em cidades litorâneas.

Posted in Blogging | Comments closed

Qual a diferença entre senador, deputado federal e estadual?

Senador, deputado estadual e federal. Todos são cargos públicos, representantes do povo e eleitos por voto direto. As eleições para tais cargos acontecem a quatro anos e eles podem fazer muito pela população. Saiba a diferença entre eles e a função de cada um a seguir.

O que faz um deputado estadual?

O deputado estadual é um político eleito pelo povo para ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa de seu Estado. Ele trabalhar pelo estado como um todo e continua residindo na mesma região a qual foi eleito. Para trabalhos nesta área não é necessário ir até Brasília.

A sua principal função é fiscalizar o trabalho do governador. Um governador do Estado não pode ter ideias e lançar leis ou projetos. Ele precisa da aprovação por meio de voto da maioria dos deputados para ir adiante em sua proposta, no direcionamento de verbas e outras atividades. 

Todo deputado estadual também pode lançar projetos. Pode pedir a votação da maioria da Assembleia e assim conseguir executar um projeto. Podem ser projetos para melhorar uma comunidade ou uma área básica de prestação de serviços como saúde, educação, transporte, urbanismo, dentre outras.

Deputado estadual em nível local é um dos Cargos disputados nas eleições mais concorridos porque há mais chance de ser eleito.

O que faz um deputado federal?

Enquanto um deputado estadual continua trabalhando no seu estado e morando por lá, o deputado federal precisa se mudar ou viajar constantemente para Brasília. Isso porque a sua função é exercida ocupando uma cadeira no Congresso Nacional que fica localizado na capital federativa do Brasil.

O deputado federal trabalha tanto sugerindo projetos para votação como votando em projetos e mudanças de leis no Congresso em âmbito nacional. Ele deixa de representar o seu estado para cuidar dos interesses da população de todo o país.

Também se agrega à função de um deputado estadual fiscalizar e controlar as ações do Poder Executivo do Governo Federal.  Ele deve fazer cumprir as leis ou levar para votação os casos considerados errados.

Qual a função de um senador?

O senador trabalha no Senado Federal, uma das três casas do Poder Legislativo no Brasil.  Assim como o deputado federal ele trabalha em Brasília, podendo ter residência permanente ou viajar apenas para trabalhar.

Como senador o ocupante do cargo político do trabalho também aprovará leis ou mudanças na legislação e projetos. Mas ele só chegam até o Senado depois de serem votados na Câmara dos Deputados e obtiverem a maioria. Como o Brasil é formado por três poderes, dois precisam a provar para um projeto e adiante e parar na mesa do Presidente da República para a sua assinatura.

Além de votar projetos que já passaram pelo congresso os senadores podem ser convocados para analisar projetos situações extras e especiais. São o caso das comissões especiais formadas apenas por senadores para avaliar situações é o caso em específico para uma votação. A Comissão de Ética, por exemplo, é formada apenas por senadores.

Posted in Blogging | Comments closed

O que é o PASEP e quem tem direito a ele?

O Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP) é um direito de todo trabalhador de empresas públicas. Seu funcionamento é semelhante ao PIS, Programa de Integração Social e muitas vezes as pessoas usam a sigla PIS / Pasep. Saiba mais sobre o Pasep a seguir.

O que é Pasep?

Pasep é uma contribuição mensal realizada pela empresa empregadora de um funcionário público. Entende-se como funcionário público contratado de uma empresa cujo capital é  em sua maior parte público.

São exemplos de empresa pública os tribunais, as prefeituras, a Caixa Econômica Federal, o Banco do Nordeste, o Banrisul, o banco da Amazônia, dentre outros. Policiais militares e civis também são servidores públicos e possuem PASEP também. Professores da rede pública de ensino(sejam escolas ou universidades)  se igualam na mesma situação.

O valor depositado todos os meses em um fundo administrado pela Caixa Econômica Federal juntamente com o Instituto Nacional de Seguridade Social, o INSS. A empresa deve pagar a contribuição mensalmente e esse pagamento pode ser acompanhada através do extrato do Pasep.

Para que serve o PASEP?

A utilidade do Pasep é ser um fundo de amparo ao trabalhador quando ele perder o vínculo empregatício. Sabemos muito bem que após aposentadoria o salário não se mantém o mesmo e fundos privados são responsáveis por aumentar a renda do funcionário aposentado.

O PASEP foi criado e é mantido pelas consolidações das leis trabalhistas como amparo a renda familiar quando o funcionário deixa a empresa.  Ele não pode sacar o valor antes, salvo alguns casos especiais.

Outra finalidade é muito importante de ser citada do Pasep é a distribuição de renda no país. As empresas lucram bastante com trabalho de seus funcionários e esta é uma forma de igualar os lucros. Os empresários devem depositar todos os meses este pequeno fundo que não muda muito na renda da empresa mas causa um grande impacto na renda do trabalhador ao final de sua vida empregatícia.

É justamente por essa igualdade social que o PIS ou PASEP só é fornecido para quem possui vínculo com uma empresa. Por este motivo os trabalhadores domésticos e trabalhadores rurais não possuem direito a PIS.  No caso do trabalhador doméstico não há lucro para ser distribuído do empregador e o trabalhador rural com sou meu próprio lucro Já que é fruto do seu trabalho.

Quando e como sacar o PASEP?

O valor do Pasep fica liberado quando o trabalhador se aposenta (por tempo de serviço ou tempo de contribuição). É uma liberação automática, é só solicitar o saque no banco e buscar o dinheiro ou transferir para a sua conta corrente ou poupança se estiverem ativas.

O saque do Pasep é realizado em uma agência da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil. Ele ficará disponível assim que a aposentadoria for oficial através do INSS.

Mas existem algumas situações em que um trabalhador contribuiu com o PASEP e não pode aguardar aposentadoria para fazer uso do dinheiro. É o caso de portadores de doenças degenerativas ou doenças terminais. Eles podem solicitar ao INSS por meio de documentação comprovando a sua situação o saque antecipado.

 

 

Posted in Blogging | Comments closed

Como funciona a aposentadoria para donas de casa?

Ao entendimento das leis previdenciárias brasileiras as pessoas dedicadas ao trabalho doméstico sem salário poderão ter uma aposentadoria. As donas de casa, portanto, podem se aposentar através do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) como todo trabalhador formal. Saiba como funciona este tipo de aposentadoria a seguir.

As regras para dona de casa se aposentar

Dona de casa (seja do sexo masculino ou feminino) são cidadãs dedicadas exclusivamente ao trabalho doméstico. Não possui carteira assinada e com isso não possuem um salário ou contribuição fixa da empresa para o INSS. Mas isso não nos impede de conseguir uma aposentadoria por idade já que não se enquadram na “aposentadoria por tempo de serviço”.

No caso das mulheres aposentadoria por idade é a partir dos 60 anos. Já para os homens fica aos 65 anos de acordo com as regras atuais da legislação previdenciária.

Para se aposentar a dona de casa deverá contribuir com o INSS através de pagamentos fixos mensais. Quando contratada por uma empresa quem paga é o empregador automaticamente todos os meses, o que pode ser acompanhado por meio do extrato do FGTS. Mas se não há contrato não há problema. Ela pode realizar a contribuição de forma avulsa.

A contribuição deve ser de no mínimo quinze anos para ter direito à aposentadoria por idade. Também é preciso ser regular e não atrasar os pagamentos.

Como pagar o INSS de dona de casa

A contribuição conhecida como “avulsa” ou “facultativa” é realizada por meio de pagamentos mensais diretamente ao INSS. Ela pode ser de 11% de um salário mínimo para quem quer se aposentar com a mensalidade de um salário mínimo vigente(será atualizado de acordo com a inflação). Também pode ser de 20% para quem quer receber da Seguridade Social entre a contribuição e o teto.

Para realizar os pagamentos avulsos é preciso procurar uma unidade do INSS de sua cidade e realizar o cadastramento para ter acesso às guias de recolhimento. Elas são obtidas online e os pagamentos são realizados em qualquer banco ou casa lotérica.

Ela também deve  realizar inscrição no Cadastro  Único do Governo Federal para comprovar a sua situação de baixa renda. Neste caso  ela deve comprovar à Previdência Social não ter nenhum tipo de renda e por isso terá direito a uma aposentadoria com pagamentos mais baixos.

Uma vez realizado o cadastramento é só entrar no site e buscar as guias para pagar. Não é preciso guardar todos os comprovantes, é só acompanhar no extrato do FGTS de consulta virtual e gratuita.

Outros benefícios que a dona de casa tem direito

Ao contribuir com o INSS a dona de casa também está adquirindo direitos da Seguridade Social além da aposentadoria que todos os trabalhadores possuem, mas de acordo com o período de contribuição. Ela pode requerer auxílio maternidade, por exemplo, após somar 10  meses de contribuição.

Após um ano (12 meses) contribuindo para o Instituto Nacional de Seguridade Social é possível dar entrada em auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. Já os direitos de pensão por morte e auxílio-reclusão são para quem contribuiu durante 18 meses.

Para mais informações, acesse o G1.com

Posted in Blogging | Comments closed

O que é necessário para ser candidato a vereador?

Sendo o salário ou a motivação de ajudar a sua comunidade, o candidato a vereador precisa percorrer um longo caminho rumo à eleição de fato. O passo a passo  para ser um vereador você confere a seguir.

Pré-requisitos para ser um vereador

Gostar da carreira pública é crucial para ocupar uma cadeira na Câmara dos Vereadores da sua cidade. Mas outros critérios são exigidos e um dos principais a ser maior de 18 anos. 

O ideal é também pesquisar sobre as funções, direito e deveres de uma vereador!

É necessário também ser um brasileiro, não necessariamente nato. Ele pode ter sido naturalizado mas isso deve ser oficial.

O grau mínimo de escolaridade é alfabetização. Não é necessário ter ensino médio ou superior para ocupar o cargo.

O candidato só pode ser vereador em sua cidade. Ele precisa, portanto,  ter domicílio eleitoral na cidade a qual quer se candidatar. Caso ele seja morador de outro município e vote nele pode transferir o título para onde deseja se candidatar.  Essa transferência deve ser feita ao menos um ano antes do período eleitoral de sua candidatura.

Também é necessário não ter pendências com o título eleitoral. Isso quer dizer ter participado de todos os processos eleitorais desde a retirada do título obrigatório aos 18 anos. Você pode consultar essas informações AQUI!

Também deve poder exercer todos os direitos políticos, ou seja, não ter nenhuma condenação.

Como ser um vereador passo a passo

Para seguir a carreira pública de vereador primeiro passo é se filiar a um partido político. Ao contrário dos Estados Unidos não é permitido pela lei eleitoral brasileira a candidatura avulsa. Para se filiar a basta procurar um partido político na sua cidade mostrar o seu interesse em ser candidato.

Uma vez procurado o partido ele irá escolher quais eleitores podem de fato se tornar candidato. Nem sempre a filiação é bem sucedida para uma candidatura a vereador. Isso porque cada legenda de partido possui um número pré-determinado de quantos candidatos pode enviar para as eleições. Os com maior chance de ganhar, logicamente, vão adiante.

Com a candidatura aceita é só divulgar o nome e tentar às urnas. É preciso obedecer às regras da campanha de acordo com a lei eleitoral e regras do partido quanto as ideias a e serem disseminadas entre os eleitores.

Alguns pontos podem ajudar a chegar ao cargo de vereador

Todos que cumpram os pré-requisitos da legenda e necessários para se tornar um vereador de acordo com a lei eleitoral podem ter sucesso nas urnas. Mas alguns pontos são importantes de serem lembrados.

Uma linhagem política ajuda aumentar as chances de sucesso. Ter outros parentes na família em cargos políticos já eleitos valorizam a candidatura e aumentam apreciação do eleitor.

Trabalhos sociais também são muito apreciados entre os eleitores. Muitos dos vereadores já atuam em suas comunidades de diversas formas como na associação de moradores ou projetos para comunidades carentes. Educação e saúde são destaque.

A popularidade é um ponto muito importante. O candidato a vereador não pode ser conhecida apenas por seus amigos e sim por sua comunidade, seu bairro e os amigos dos amigos.  Ter admiradores de seus projetos sociais ajuda na propaganda mais valiosa do mercado: “a boca a boca”.

 

Posted in Blogging | Comments closed